Itália recebe 440 imigrantes em porto na Sicília e ultrapassa marca de 67 mil chegadas em 2021


SICÍLIA, Itália —  Após uma semana, cerca de 440 migrantes resgatados no Mediterrâneo por um navio da Sea Watch conseguiram desembarcar na Sicília, nesta sexta-feira, elevando o número de chegadas à Itália para mais de 67 mil em 2021.

“As autoridades italianas designaram o porto de Pozzallo, na Sicília, como local de desembarque. Uma semana após nossa primeira operação, as 440 pessoas resgatadas a bordo finalmente poderão desembarcar”, disse a ONG alemã em sua conta no Twitter.

E mais: Quarenta pessoas são resgatadas no Canal da Mancha

O navio da ONG, que patrulha as águas da Líbia desde novembro de 2017, é um dos vários fretados para resgatar os migrantes que tentam fazer a travessia entre África e Europa em barcos improvisados.

Esta semana, o Ministério do Interior italiano já havia permitido que o Geo Barents, fretado pela organização humanitária Médicos Sem Fronteiras (MSF) e com 558 imigrantes resgatados a bordo, atracasse no porto siciliano de Augusta. Normalmente, após procedimentos de saúde e administrativos, os imigrantes são postos em quarentena.

Tragédia: Naufrágio na Grécia deixa ao menos 16 refugiados mortos na véspera de Natal

De acordo com o Ministério do Interior italiano, 67.040 migrantes desembarcaram no país em 2021, quase o dobro dos 34.154 registrados em 2020, quando a Itália vivia o auge da pandemia do coronavírus. O número deste ano, no entanto, ainda é muito menor do que o de 2016, quando 181.436 chegadas foram registradas.

De acordo com o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur), desde o início do ano e até 26 de dezembro, mais de 114.500 migrantes conseguiram chegar à Europa, principalmente em Itália, Grécia, Espanha, Chipre e Malta. O número de desembarques por via marítima também é superior ao de 2020, quando foram registrados 95.031 chegadas, mas ainda está longe do pico de mais de um milhão de pessoas em 2015.

O Acnur também estima que 1.839 pessoas morreram ou desapareceram ao tentar atravessar o Mediterrâneo em 2021.



Source link

Leave a Comment